O Mapa da Mina: Dead Island

Dead Island não agradou muito à crítica. Isso, na opinião deste humilde jogador, tem mais a ver com expectativas mal fundamentadas do que com a qualidade do game em si. Provavelmente você já assistiu ao famoso trailer do jogo, que até prêmio ganhou, mas acabou servindo de parâmetro para avaliar o que surgiu de concreto no título. Honestamente, acho totalmente descabido esperar que toda uma carga dramática como aquela seja reproduzida a cada minuto de jogatina. Afinal, não estamos falando de uma série de TV ou um filme de Hollywood. Estamos falando de um jogo, que, diga-se de passagem, é extremamente divertido, muito bem acabado e, em alguns aspectos, bem inovador. Você já deve ter ouvido falar de algumas comparações com Left 4 Dead, afinal são 4 sobreviventes lutando pra não cair nas garras dos zumbis no meio de um verdadeiro apocalipse.  Só que as semelhanças param por aí. Em Dead Island o combate corpo-a-corpo usando armas brancas é predominante. Aliás, logo que botar as mãos numa arma de fogo você vai notar que desmembrar os morto-vivos com um pedaço de cano ou uma Katana é muito mais eficiente! Mas o melhor de tudo é que isso é muito divertido e quase sempre assustador. Como você não fica à metros de distância dos seus agressores, encontrar um único zumbi já é suficiente pra te deixar tenso…

(Clique na imagem para assistir ao trailer premiado)

A Deep Silver fez um jogo grandioso, seja por conta do mundo aberto onde é ambientado, seja pela extensão da estória principal ou pela qualidade do título… Foi feito para se jogar em grupo, mas continua uma experiência excepcional mesmo no esquema Lone Ranger. Não dê muita atenção ao que ler em publicações especializadas e procure experimentar Dead Island pra ter uma opinião própria. Talvez desagrade um pouco àqueles avessos à RPGs já que existe muito do gênero no jogo, mas mesmo assim duvido que alguém fique indiferente ao título. Certamente está entre nossos recomendados! 😀

Então chega de lenga-lenga e vamos ao que interessa:

O Mapa da Mina – Dead Island

Dificuldade: 4.5/10
Conquistas Offline: 42
Conquistas Online: 6
Tempo aproximado: 35 à 60 horas (dependendo da rapidez no ganho de XP)
Playthroughs necessários: 1 (mais 3 repetições do primeiro Ato)
Conquistas de chance única: 0
Conquistas com glitch: 0
Prêmios de avatar: 0

  1) Comece com os punhos

– Logo do começo do jogo, use os próprios punhos pra derrubar os morto-vivos. Por quê? Conquista, claro! A dita cuja é essa aqui:

 Tae Kwon Leap
Mate 25 zumbis com seus próprios punhos
– O melhor é realizar o feito logo de cara já que os zumbis são mais fracos no começo da estória. Procure mirar na cara dos agourentos que é mais eficaz.

2) Quando o analógico é melhor do que o digital?
– Você pode configurar o controle para usar dois métodos de combate, digital e analógico. A diferença entre eles parece simples, mas pode ser gritante se você aprender a usar o segundo método. Nele você segura um dos gatilhos e usa o  pra direcionar seus golpes. Como o ataque vai obedecer à direção determinada por você, decepar membros se torna uma questão de precisão, não sorte. O método digital habilita um dos gatilhos para desferir golpes instantâneos, mas sem possibilidade de direcioná-los. Sendo assim, o ângulo dos seus ataques vai depender basicamente de como seu personagem estiver posicionado. É mais rápido e no momento do aperto evita afobação. Mesmo assim, vale à pena investir no modo analógico. Assim que dominá-lo vai se tornar frequente fazer muito mais estrago nos zumbis, mesmo quando eles o estiverem cercando. Ah, tem uma conquista relacionada também, então tá aí mais um motivo. Olha ela aqui:

 Swing Them Sticks
Mate 250 zumbis usando o método de combate analógico
– Aproveite pra realizar o feito logo no início do jogo, junto com a conquista Tae Kwon Leap. Se tiver muita dificuldade com esse modo de combate e não conseguir se adaptar de jeito nenhum, tem como apelar. Sempre que encontrar um veículo funcionando, entre no menu de opções e mude os controles para o modo analógico. Todos os condenados que você atropela contam para a conquista. Fácil, não é? Mesmo assim, não desista tão fácil de se adaptar ao método de combate mais complexo. Você vai se tornar um exterminador mais eficiente se conseguir dominá-lo. Pode ter certeza disso!

3) Antes só do que mal acompanhado
– Existem conquistas que exigem completar um número determinado de missões no modo cooperativo. O jogo permite que sua partida fique disponível para qualquer um que queira entrar nela e te ajudar. Isso é uma bela vantagem, principalmente porque é possível negociar itens com outros jogadores. Por outro lado, ter gente entrando esporadicamente no seu jogo pode ser um tiro no pé. Dependendo da missão em que estiver, outros jogadores podem coletar itens preciosos e sumir da partida, sem nem completar a peleja. Se você tem amigos que também estão com o título, combine de jogar com eles. Caso contrário, paciência, o jeito vai ser procurar por desconhecidos mesmo. Nesse caso é sempre melhor entrar na partida de alguém já que o empenho em terminar missões será seu, não dependendo da boa vontade dos outros.

4) Não se esqueça dos colecionáveis!
– Quando jogo de mundo aberto tem colecionáveis pra caçar ( e quase sempre tem), muita gente torce o nariz e já começa a se preparar para horas de chateação. Como em Dead Island existe uma ilha inteira pra se explorar, encontrar todos os itens é bem trabalhoso e enfadonho, mesmo seguindo um guia. A boa notícia é que a conquista relacionada à coleta não exige a totalidade dos suvenires. Aliás, o feito é cumulativo entre Playthroughs, então um mesmo item pode ser coletado mais de uma vez e mesmo assim ser contabilizado como novo. Já que você vai precisar jogar mais de uma vez pelo menos o primeiro Ato pra fazer todas as conquistas, não se preocupe em procurar um guia, mas lembre de se empenhar em vasculhar os lugares por onde passar pra aumentar a coleção frequentemente. Além disso, o total de tralhas a serem encontradas é bem superior ao exigido pelo feito, então realmente não é preciso entrar na neurose de vasculhar cada pedra do cenário. Apenas tenha em mente que é importante ter espírito de colecionar… 😉

5) Ganhar experiência leva tempo, muito tempo…
– Quer um conselho? Faça toda e qualquer sidequest que aparecer no seu caminho. Nem que alguém te peça um copo d’água, ajude sempre! Se você achou que isso é brincadeira, está enganado. Existem muitas missões paralelas no jogo, que vão de ações simples e corriqueiras até resgates suicidas. Todas proporcionam ganho de XP e dinheiro, tendo a lucratividade diretamente relacionada à dificuldade de cada tarefa. Pois mesmo que você faça tudo o que tem pra ser feito na ilha, a experiência recebida não será suficiente para que seu personagem alcance o nível máximo. Pra isso seriam necessários mais do que dois Playthroughs completos com o mesmo protagonista. Tudo isso, claro, por conta dessa conquista aqui:

 School of Hard Knocks
Alcance o nível 50
– Haja paciência, não é? Pois bem, não há conquista cabeluda que não tenha uma tesoura capaz de diminuir bastante suas tranças :D. Tem um esquema bem legal para acelerar absurdamente o ganho de XP. É só esperar rolar a missão Make Yourself At Home do primeiro Ato. Ela deve ficar disponível logo depois que o Sinamoi te pedir pra encontrar um caminhão na garagem do hotel. Abaixo tem um vídeo mostrando como fazer o esquema. A ideia é quebrar os braços do Thug dentro da cabana e ficar dando porrada nos membros fraturados com um soco inglês pra ganhar um monte de XP extra. A beleza da coisa toda é que esse inimigo em específico não ataca! Dá pra fazer a festa. Olha só que beleza:

(Vídeo publicado no Youtube por Nvoy123)

A missão em questão é iniciada no próprio local, então use o mapa do vídeo pra chegar na cabana indicada. É melhor deixar o controle no modo digital pra facilitar os acertos que dão experiência extra. Lembre também de não consertar o soco inglês de jeito nenhum. Note que os números brancos que aparecem a cada golpe representam o dano causado e os pontos em amarelo indicam o XP extra, então quanto menor o dano, mais vai durar seu saco de pancadas. Lembre também que pra dar certo é preciso acertar os braços fraturados do Thug. Se tiver dificuldade com isso, comece mirando na mão do morto-vivo e conforme desfere os murros suba rapidamente a mira para a cabeça do maldito. Dessa forma o sistema de combate digital faz com que seus golpes fiquem concentrados no ombro do grandalhão, garantindo os acertos com bônus. Se tiver bastante paciência, dá pra chegar ao nível 50 em cerca de duas horas. Como os pontos adicionais aumentam junto com a evolução do personagem, a proporção de experiência recebida se mantém. Belo macete, não?!

6) Armas e dinheiro infinitos! Como?
– Já imaginou não precisar se preocupar mais com dinheiro nem a durabilidade das suas armas? Pois existe um macete nesse jogo que permite reproduzir indefinidamente qualquer armamento passível de ser arremessado. Por conta disso, dá pra multiplicar itens raros e vendê-los por uma verdadeira fortuna. Nós já demos essa dica antes, então clique aqui pra conferir. Desse jeito você se concentra na diversão e se preocupa menos em administrar seu arsenal… 😀

 ~          ~          ~

 É isso aí, pessoal, mais um Mapa da Mina pra nossa coleção. Dead Island não é um jogo difícil, por isso seguindo esse breve guia não vai ser nada complicado alcançar os 1.000. Pode ser que um ou outro ponto do jogo acabe tirando seu sono, mas seguindo todas as dicas que demos isso vai ser bem difícil de acontecer. Se mesmo assim você tiver problemas, não deixe de nos perguntar. Afinal, estamos aqui pra isso, não? 8)

2 respostas para O Mapa da Mina: Dead Island

  • Jonathan Santos  diz:

    Bem legal eese guia o jogo tbm,no aguardo de um mapa da mina do skyrim e dark souls.

  • @Mauricio_Bretas  diz:

    deo bombs infinitas
    Se vc colocar no modo analogico, lance uma deo bomb perto de uma porta em seguida feche a porta vc vai continuar com o mesmo tanto de deo bombs que estava

Deixe uma resposta aqui

Você pode utilizar essas tags HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>