O Mapa da Mina – ASSASSIN’S CREED CHRONICLES: CHINA

É inegável que a franquia Assassin’s Creed se consolidou com o sucesso de seus títulos, mas não dá pra fingir que com tantos jogos lançados o desgaste não comece a se apresentar. Com pelo menos um título sendo lançado por ano, a saga do Credo de Assassinos se equipara a outras séries como os jogos de futebol (Fifa e PES) ou os shooters (Call of Duty e Battlefield).

Essa periodicidade demanda uma boa dose de inovação a cada lançamento, ou então a mesmice acabaria por sabotar o sucesso. É fato que nem sempre as novidades realmente implementem novos sistemas ou uma renovação da jogabilidade, mas em geral a Ubisoft não tem deixado a peteca cair. Ainda assim, cada novo título da série Assassin’s Creed entrega basicamente mais de um mesmo que se mostrou eficiente, então se você gostou dos títulos anteriores, é quase certo que gostará dos próximos.

Tendo em vista essa fórmula de sucesso, Assassin’s Creed Chronicles: China não deixa de ser uma boa aposta. É claro que os elementos principais da franquia estão lá, mas estruturar o jogo no clássico “estilo plataforma” demonstra uma vontade de trocar o certo por algo realmente novo. Quer dizer, mais ou menos novo. Você vai reconhecer a nova mecânica se já se aventurou por clássicos como o Prince of Persia original, ou então títulos não tão antigos como o excelente Shadow Complex. Fato é que recorrer ao chamado 2.5D, quando se explora o cenário de maneira horizontal, mas acrescentando elementos de profundidade, traz novo fôlego à franquia!

A maneira com que os elementos clássicos da série se mantém integrados à jogabilidade é excelente. Você vai ter certeza de que está jogando Assassin’s Creed, mas vai sentir que realmente algo novo acontece na jogabilidade! É um refresco muito bem vindo à franquia.

Então, vamos ao que interessa?

acc_china

O Mapa da Mina – Assassin’s Creed Chronicles: China

Dificuldade: 6/10
Tempo necessário: 15 a 20 horas
Playthroughs necessários: 2
Conquistas offline: 18
Conquistas online: 0
Conquistas de chance única: 0 (seleção de fases)
Dificuldade afeta conquistas: não

1) Fazendo jus ao nome
– Seu primeiro playthrough vai ser mais tranquilo e divertido, principalmente por não estar limitado na ação principal de um assassino: matar gente! Assim sendo, pode bancar o serial killer. É particularmente divertido o assassinato com a lâmina escondida na bota de Shao Jun. Sua meta é aniquilar 100 inimigos pra conquistar No Witnesses. Se quiser acelerar o processo, você pode jogar uma mesma seção repetidas vezes pra acumular as mortes. Aproveite agora, porque na sua segunda partida a regra vai ser bancar a sombra e não matar praticamente ninguém.

2) Acumulando pontos para melhorias
– Procure acumular bastante pontos para adquirir melhorias no seu primeiro playthrough. Isso vai fazer com que sua segunda partida seja mais tranquila. Como você não vai poder assassinar praticamente ninguém na segunda incursão, aproveite agora pra acumular kills e garantir altas pontuações com ranks de Assassin Gold e Brawler Gold. Você também pode alcançar um score legal com ranks de Shadow Gold, mas seu segundo playthrough vai se resumir a buscar esses ranks exclusivamente, então talvez seja melhor não se empenhar tanto na ação furtiva pra depois não enjoar…

3) De olho na missão
– No decorrer da primeira partida é bom já cuidar de algumas conquistas relacionadas a trechos específicos da aventura, caso contrário você terá bastante dor de cabeça quando estiver atrás dos ranks de Shadow Gold.

A primeira a atentar é a quinta missão, quando Shao Jun passa por um porto em chamas. Pra ver Faster Than The Flame pipocar, é preciso completar o trecho em menos de 5 minutos. Muito provavelmente você não vai conseguir de primeira, mas com perseverança logo vai perceber que não é uma tarefa das mais difíceis.

A próxima missão a ficar atento é a oitava, quando rola uma emboscada. O objetivo pra desbloquear Not A Scratch é simples: não seja atingido nenhuma vez. De novo, com perseverança tu consegue o feito. É só não desistir.

Logo na missão seguinte, mais uma conquista pra atentar: Concubine Savior. Não tem segredo, simplesmente cumpra o objetivo secundário da missão que está no papo.

Obs.: Se você não quiser ter que jogar uma terceira vez só pra caçar colecionáveis, cuide de já coletá-los agora. Eles são fáceis de serem encontrados e um status aparece na tela indicando se você encontrou todos no trecho em que estava. Dá um pouco de trabalho, mas não é nada que acabe com a diversão da partida…

4) Shadow Gold
– Agora é hora de ter paciência e talvez até deixar a diversão um pouco de lado. Digo isso porque não matar praticamente ninguém num jogo em que se faz o papel de um assassino (ou melhor, assassina) é meio frustrante. E dessa vez você vai ter de justamente evitar confrontos e assassinatos a todo custo. As suas únicas vítimas serão os alvos principais da missão. Eles aparecem em dourado quando você usa a Eagle Vision. Se não ficou dourado, não pode matar. Simples.

Antes de mais nada, lembre que você vai precisar iniciar a nova partida no modo Plus. Não precisa ser Plus Hard, ok?

Sua meta é simples: passe por todo mundo sem cometer assassinatos (a não ser nos alvos principais) e sem ser detectado. Se você for avistado ou levantar suspeitas em algum guarda, pode recomeçar a seção, ok?

Terminando o jogo inteiro recebendo em todas as seções ranks de Shadow Gold você garante a conquista mais trabalhosa do jogo.

Cabe ressaltar que em determinados trechos temporizados é preciso ser rápido pra conseguir uma boa marca, ok? Dessa forma você vai garantir The Completionist, que consiste em alcançar a maior pontuação possível (o que se garante com Shadow Gold) e o menor tempo possível em todas as missões do jogo.

5) Passando o rodo
– Se você jogou sua primeira partida sem se ater muito à lista de conquistas, é bem provável que ainda tenha algumas pendentes, especialmente as que exigem a repetição de determinadas ações. Elas costumam estar relacionadas a matar inimigos de jeitos específicos, como usando a técnica Helix Kill, por exemplo. Essa técnica, aliás, só estará disponível na sua segunda partida, então vai acabar sobrando conquista mesmo pra desbloquear mesmo depois de dois playthroughs.

“Pô, Malki, mas você não disse que eram necessários apenas 2 playthroughs ali na ficha do Mapa?”

Relaxa que você não vai precisar jogar tudo de novo. Basta selecionar alguma memória de missão com bastante inimigos e mandar ver. Todas as ações que ficaram faltando podem ser acumuladas jogando repetidamente um mesmo trecho. Faça um check list das conquistas pendentes e vá repetindo as mortes, ocultações de cadáveres e fugas de alertas. Rapidinho você vê as conquistas desbloqueando… 😉

~    ~    ~

Como já disse, Assassin’s Creed Chronicles: China dá um fôlego à franquia, trazendo jogabilidade diferenciada e permitindo que até os que se sentem mais saturados pela série voltem a se interessar pelo universo criado pela Ubisoft. Com gráficos lindos e uma estória envolvente, vale a pena vestir o capuz pela primeira vez na pele de uma personagem feminina. E aposto que você vai ficar curioso pra conferir os próximos títulos da série Chronicles, que trarão aventuras passadas na Índia e na Rússia.

Quem disse que fugir um pouco da fórmula que levou ao sucesso não dá certo, não é, Ubisoft?

Deixe uma resposta aqui

Você pode utilizar essas tags HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>